amh.png
setabranca.png

Hormônio Anti-Mulleriano (AMH)

Exame útil para o diagnóstico de várias situações clínicas envolvendo a fertilidade.

Orientações de Coleta

  • Os atendimentos são por ordem de chegada, não é necessário agendamento prévio;

  • OBRIGATÓRIO DOCUMENTO DE IDENTIFICAÇÃO COM FOTO;

  • Não necessita de jejum;

  • Não necessita de requisição médica;

  • Coletar o sangue entre 2° e 7° dia do ciclo menstrual ou conforme orientação médica.

O que é?

Durante o desenvolvimento embriogênico masculino, a secreção de hormônio anti-mulleriano (AMH) nas células de Sertoli testiculares é essencial para a regressão dos ductos Mullerianos (precursores do útero, trompas e vagina) e para o desenvolvimento normal do trato reprodutivo masculino.

No menino, o AMH, fator testicular secretado pelas células de Sertoli, causa a regressão dos dutos de Muller e continuará a ser produzido até a puberdade. Após este período, os níveis decrescem lentamente até atingirem valores residuais.

Na menina, o AMH começa a ser produzido em pequenas quantidades pelas células da granulosa ovariana logo após o nascimento até a menopausa, tornando-se indetectável no soro após este período.

 

A dosagem de AMH constitui um instrumento útil para o diagnóstico de várias situações clínicas, tais como:

  • Previsão de fertilidade;

  • Puberdade precoce (AMH baixo);

  • Puberdade tardia (AMH alto);

  • Pseudo-hermafroditismo masculino;

  • Síndrome da Persistência do Ducto Mulleriano (PMDS);

  • Suspeita de anorquia ou ectopia testicular;

  • Poder auxiliar na determinação do sexo fetal, sobretudo em presença de aberrações cromossômicas;

  • O AMH também tem sido utilizado para confirmar a retirada completa de tecido gonadal tumoral após cirurgias. 

 

HORMÔNIO ANTI-MÜLLERIANO E SUA RELAÇÃO COM A FERTILIDADE

Com o passar dos anos, o número de óvulos disponíveis e de qualidade presentes na mulher vai diminuindo e, com isso, as chances de engravidar também diminuem em alguns casos. A dosagem do hormônio anti-mulleriano tem como função alertar a proximidade da menopausa e a síndrome dos ovários policísticos.

O hormônio anti-mulleriano (HAM ou AMH) é produzido pelas células dos ovários e é responsável por controlar o desenvolvimento dos folículos. O exame da dosagem deste hormônio serve para analisar o estado da reserva ovariana da mulher, que tem a finalidade de predizer a quantidade de óvulos que a mulher dispõe em seus ovários.

Os óvulos, por sua vez, ficam armazenados dentro de “pequenas bolsas” de tecido epitelial nos ovários, que são chamadas de folículos ovarianos e são as responsáveis pela produção do hormônio anti-mulleriano. Ou seja, quanto mais folículos houver, maiores tendem a ser as dosagens de HAM na mulher. Por esse motivo, o hormônio anti-mulleriano é muito utilizado em tratamentos de reprodução assistida, principalmente para mulheres com idade superior a 35 anos ou com baixa probabilidade de engravidar.

Esse exame é realizado através de uma coleta de sangue que deve ser realizado durante o ciclo menstrual da mulher. A dosagem deste hormônio fornece informações importantes para que o médico especialista em reprodução humana possa indicar o melhor tratamento para cada caso.

Ativo 1.png