Doença de Crohn e Colite Ulcerativa

DOENÇA DE CROHN

estomago

A doença de Crohn é uma doença inflamatória séria do trato gastrointestinal. Ela afeta predominantemente a parte inferior do intestino delgado (íleo) e intestino grosso (cólon), mas pode afetar qualquer parte do trato gastrointestinal.

A doença de Crohn é crônica e provavelmente provocada por desregulação do sistema imunológico, ou seja, do sistema de defesa do organismo.

Sintomas

A doença de Crohn habitualmente causa diarréia, cólica abdominal, frequentemente febre e, às vezes, sangramento retal. Também podem ocorrer perda de apetite e perda de peso subseqüente. A diarréia pode se desenvolver lentamente ou começar de maneira súbita, podendo haver também dores articulares e lesões na pele. Na Doença de Crohn a dor abdominal e a diarréia freqüentemente surgem após as refeições. São comuns dores articulares (dores nas juntas), falta de apetite, perda de peso e febre. Outros sintomas precoces da doença de Crohn são lesões da região anal, incluindo hemorróidas, fissuras, fístulas e abscessos.

Diagnóstico

O diagnóstico da Doença de Crohn é feito, basicamente, por meio de exames de imagem (raio X, endoscopias) e exames de sangue.

COLITE ULCERATIVA

A colite ulcerativa é uma doença inflamatória do cólon, intestino grosso, que se caracteriza por inflamação e ulceração da camada mais superficial do cólon. Os sintomas incluem caracteristicamente diarréia, muito frequente com sangramento retal, e às vezes dor abdominal. A colite ulcerativa pode afetar apenas a parte inferior do cólon, reto e é, então, chamada de proctite ulcerativa. Se a doença afetar apenas o lado esquerdo do cólon, ela é chamada de colite distal ou limitada. Se ela envolver todo o cólon, é pancolite, ou colite universal ou hemicolite esquerda.

A colite ulcerativa difere de uma outra doença inflamatória intestinal, a doença de Crohn. A colite ulcerativa afeta apenas o cólon. A inflamação é máxima no reto e estende-se até o cólon de modo contínuo, sem nenhuma área de intestino normal poupada.

A doença de Crohn, pode afetar qualquer área do trato gastrointestinal, incluindo o intestino delgado, e pode haver áreas de intestino normal entre as áreas de intestino doente, as chamadas áreas “poupadas”.

A colite ulcerativa afeta apenas a camada mais superficial do cólon, enquanto a doença de Crohn pode afetar toda a espessura da parede intestinal. A colite ulcerativa e a doença de Crohn são diferentes do cólon espástico ou síndrome do cólon irritável, que é um distúrbio de motilidade do trato gastrointestinal. A sindrome do cólon irritável não tem nenhuma relação com a colite ulcerativa ou doença de Crohn.

A maior parte das pessoas desenvolve os seguintes sinais e sintomas:

  • Dor abdominal;
  • Diarreia com muco e, ocasionalmente, sangue devido às ulcerações na parede do intestino e reto;
  • Perda de apetite;
  • Perda de peso;
  • Fraqueza.

Alguns sintomas podem se manifestar além do intestino e reto, como:

  • Vermelhidão e coceira nos olhos;
  • Aftas na boca;
  • Pedra nos rins;
  • Osteoporose;
  • Dor e inflamação nas articulações;
  • Feridas na pele.

EXAME: CALPROTECTINA FECAL

Exame de CALPROTECTINA FECAL para Diagnóstico e Monitoramento da Doença Inflamatória Intestinal (Doença de Crohn ou Retocolite Ulcerativa)

Indicação: Diagnóstico de pacientes com suspeita clínica de doença de Crohn (DC) ou retocolite ulcerativa (RCU) e monitoramento dos pacientes com DC ou RCU já diagnosticadas, requerendo monitoramento da atividade da doença.

  • A calprotectina é uma proteína encontrada no citosol de algumas células, principalmente neutrófilos, que ligada ao cálcio se torna um composto estável não decomposto nos intestinos.
  • Na doença inflamatória intestinal, o número aumentado de neutrófilos no intestino leva a um consequente aumento dos níveis de calprotectina.
  • É resistente à degradação metabólica pelas bactérias intestinais e pode ser encontrada nas fezes se mantendo estável por sete dias em temperatura ambiente.

• Uma amostra de material fecal simples é suficiente para a realização do exame.

Orientações de coleta:

  • Recolher as fezes diretamente no frasco estéril;
  • Não coletar do vaso sanitário;
  • Mantenha a sob refrigeração, de 2ºC a 8ºC até o momento de levar ao laboratório.
  • Não congelar a amostra.
  • Assim que retirar a amostra da geladeira levar imediatamente ao laboratório.
  • A amostra pode ser armazenada por três dia na geladeira.
whatsapp
Fale com um atendente!
Fale com um atendente!