lacto.jpg
setabranca.png

Exame de MCM6

Intolerância a Lactose

Descubra se você é intolerante à lactose ou não com este exame!

Instruções de Coleta

  • Os atendimentos são por ordem de chegada, não é necessário agendamento prévio;

  • É necessário um documento de identificação com foto;

  • O exame pode ser realizado por coleta de sangue;

  • PRAZO DE ENTREGA: 6 dias (devido a pandemia do covid-19 a entrega pode se estender para 23 dias);

  • Não é necessário jejum;

O que é?

Quando crianças são incapazes de quebrar a lactose no leite materno ou de outras fontes, ocorre um distúrbio chamado deficiência de lactase congênita, ou alactasia congênita, resultando em sintomas como diarreia grave. Se não for dado a essas crianças afetadas leites que não contenham em sua fórmula lactose, elas podem desenvolver desidratação grave e perda de peso.

Já na fase adulta, a intolerância à lactose é causada pela diminuição da produção de lactase após a infância. No caso de consumo de alimentos derivados do leite, sintomas como dores abdominais, flatulência, náusea e diarreia podem aparecer de 30 minutos a 2 horas após a ingestão. A maioria das pessoas com lactase não persistente podem incluir em suas dietas diferentes quantidades de lactose, sem apresentar sintomas. Embora muitas vezes haja dificuldade em digerir leite fresco, existe a possibilidade de consumir certos produtos, como queijo ou iogurte, sem causar nenhum desconforto.

Perguntas frequentes

Quais são os tipos de intolerância à lactose?


Deficiência Primária de Lactase ou Hipolactasia Primária

Deficiência da lactose mais comum na população. À medida que a idade avança, ocorre uma diminuição progressiva na produção da enzima lactase. Essa diminuição é ditada geneticamente pela redução da expressão do gene LCT, responsável por codificar a enzima lactase. O quadro clínico tem seu início por volta dos 2 ou 3 anos e perdura por toda a vida.

Deficiência Congênita de Lactase

É o tipo mais raro, em que a atividade da lactase é muito baixa ou ausente no epitélio intestinal desde o nascimento. É geralmente transmitida de geração a geração.

Deficiência Secundária de Lactase

Esse tipo de deficiência é adquirida no decorrer da vida e é uma condição temporária. Entre as causas prováveis estão doenças digestivas (intoxicação alimentar ou infecção intestinal, por exemplo), que promovem inchaço das vilosidades do intestino, o que impede que a lactase exerça sua função de hidrolisar a lactose e promover energia para o organismo. Além disso, pessoas que passaram por cirurgias de remoção de parte do intestino podem estar sujeitas a essa deficiência. Entretanto, em todos esses quadros, quando o problema é resolvido, a lactase volta a exercer sua atividade normalmente e o leite e seus derivados podem ser incluídos novamente na alimentação após a normalização do intestino.




Qual o tratamento para intolerância à lactose?


A intolerância à lactose não é uma doença. É uma carência do organismo que pode ser controlada com dieta e medicamentos. Procure seu médico para fazer uma dieta adequada e/ou realizar tratamento com medicamentos, caso o médico considere necessário.




Quais alimentos devem ser evitados?


- Leite de vaca, queijos, manteiga, requeijão e demais derivados de leite;

- Preparações à base de leite (bolos, pudins, cremes, entre outros);

- Bolachas e biscoitos que possuem leite em sua composição.

Deve-se ressaltar que esta orientação dietética não substitui o acompanhamento pelo médico!





Ativo 1.png